Quinta, 13 de Agosto de 2020
Follow Us

Sábado, 21 Março 2020 09:03

Adventistas e IURD multiplicam cultos em dias de prevenção do “Covid-19”

Depois do Decreto Presidencial sobre o COVID-19 que desaconselha reuniões com mais de 200 pessoas, a União Nordeste de Angola da Igreja Adventista do Sétimo dia (IASD) e a Igreja Universal do reino de deus (IURD) multiplicaram os seus cultos diários com números que não passam aquele limite, medida a ser implementada a partir de hoje.

Enquanto isso, outras igrejas preferiram não cultuar

O comunicado oficial da União Nordeste da IASD sobre COVID- 19, assinado pelo pastor Justino Paulo, diz que ficam canceladas todas as actividades de retiro, acampamentos, movimentações de corais, semana de oração jovem, almoços de confraternização nos pátios das igrejas, reservando-os somente aos cultos no padrão decretado pelo Estado de 200 membros ou menos. O único culto diário passa a estar dividido em dois. Neste sentido, diz o documento, para a protecção dos fiéis, em conformidade com o Decreto Presidencial provisório, os cultos terão a duração de 2 horas, podendo, no entanto, ser realizados das 8 horas às 10:00 e das 10:30 às 12:30, podendo os cultos continuarem no período da tarde, para as congregações com maior número de fiéis. Em conversa com o jornal OPAÍS, Francisco Venâncio, do Gabinete de Comunicação e Imagem, disse que os líderes locais de cada igreja terão a responsabilidade de seleccionar os fiéis que participarão nos cultos, em totais que não passem os 200, tal como recomendado. Chamado a comentar o facto de as outras igrejas terem anulado temporariamente todo o tipo de culto, durante os 15 dias decretados, aquele responsável disse que não é negativa a atitude das outras igrejas, pois cada um toma a medida que se adequa à sua realidade. Para ele, é necessário entender a estrutura de cada igreja, pois a adventista tem “várias miniaturas” e aquelas em que o número de fiéis passa os mil, por exemplo, serão fechadas. “Aquelas cujo número de membros não passa 100, por exemplo, os cultos serão realizados obedecendo as medidas de protecção. Atenção que a nota é sugestiva e, a partir de hoje, as igrejas terão contacto com esta sugestão e os líderes arranjarão a melhor forma de resolver o problema”, disse. É preciso não comparar as igrejas, pois, para o interlocutor, enquanto umas têm mais de mil fiéis reunidos num só sítio, como a Igreja Católica, por exemplo, a Adventista, dada a sua subdivisão das missões, poderá ter 50 nalguma região, 100 noutra e assim sucessivamente.

Mudança por causa do Covid-19

O comunicado diz ainda que os diáconos adventistas devem usar máscaras e estar munidos com frascos de álcool-gel para os membros desinfectarem as mãos na entrada para o templo. Na falta de álcool-gel, os diáconos oferecerão água e sabão para a lavagem das mãos. Será ainda evitado que se cantem hinos que promovam abraços e apertos de mãos durante os cultos. Os idosos serão devidamente acompanhados com maior cuidado por estes apresentarem maior vulnerabilidade, e as crianças. “Se alguma missão achar que em determinado templo há mais risco de contágio, dada a quantidade de fiéis, repito, a igreja não irá celebrar culto neste local. Por outra, todas as medidas de prevenção, como o uso de máscaras, álcool-gel, água e sabão, devem ser criadas pelos líderes locais de cada igreja”, reforçou. Entretanto, para além de todo o aspecto explicado pelo entrevistado, frisou que os cultos das regiões com um número considerável de fiéis serão divididos em dois, com a duração de duas horas, por causa do Covid-19.

Antes, o culto dos adventistas começava às 8 e terminava às 12 horas, e era apenas um por dia, subdividido em Escola Sabatina e Culto Solene. A Igreja Adventista diz que acompanha com profunda atenção o desenvolvimento da pandemia Covid-19, pelo que acha oportuno cumprir escrupulosamente as medidas preventivas emanadas pelas Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Governo angolano. Por isso, apelam aos profissionais de saúde da igreja a promoverem palestras sobre as medidas de prevenção desta pandemia que está a assolar o mundo, colaborando com os pastores e os demais oficiais das igrejas locais. “Estejamos seguros e confiantes porque Deus está no controlo da humanidade. Cada membro deve dedicar tempo qualitativo em oração intercessora para os afectados em todo o mundo, e não perder de vista o momento de pregar as boas novas do evangelho”, lê-se no comunicado. OPAIS

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up