Sexta, 10 de Abril de 2020
Follow Us

Sexta, 07 Fevereiro 2020 10:29

South African deixa de voar para Angola e Brasil

A companhia aérea estatal sul-africana South African Airways (SAA) anunciou que vai deixar de voar, a partir de 29 de fevereiro, para oito destinos internacionais, incluindo Angola e Brasil, devido a problemas financeiros.

Num comunicado divulgado na quinta-feira, a transportadora indicou que entre as rotas internacionais eliminadas estão a capital angolana, Luanda, e a cidade brasileira de São Paulo.

Entre os voos internacionais que a empresa decidiu manter está a rota para a capital de Moçambique, Maputo.

A SAA vai também abandonar as ligações para a cidade chinesa de Guangzhou (Cantão) e para a região administrativa especial chinesa de Hong Kong, numa altura em que várias companhias aéreas suspenderam os voos para a China continental, devido ao surto de coronavírus.

A transportadora sul-africana sublinhou que todos os passageiros com bilhetes para voos cancelados a partir de 01 de março vão receber um reembolso integral.

Os administradores da falência da companhia aérea sublinharam que as medidas fazem parte de um plano de restruturação que será divulgado no final de fevereiro.

A SAA já tinha anunciado o cancelamento de cerca de 150 voos previstos para fevereiro para cortar custos.

A empresa, que apresenta prejuízos desde 2011, emprega cerca de dez mil pessoas, num país que conta com uma taxa de desemprego de 29%.

No final de janeiro, o Banco de Desenvolvimento da África do Sul, uma instituição estatal, anunciou um financiamento à companhia no valor de 3,5 mil milhões de rands (cerca de 214 milhões de euros), afastando o risco de falência.

Air Namíbia suspende rota Luanda-Windhoek

A transportadora aérea namibiana, Air Namíbia, anunciou na terça-feira a suspensão da rota Windhoek-Luanda a partir de domingo, por falta de viabilidade económica, segundo a imprensa local.

O anúncio surge apenas cinco meses depois da companhia ter decidido reintroduzir a rota, em Outubro do ano passado, refere o diário “The Namibian”.

A ligação Windhoek-Luanda esteve suspensa entre Junho e Setembro do ano passado também devido à falta de rentabilidade e voltou a estar operacional entre Outubro e Janeiro de 2020, durante a época alta.

Segundo o presidente executivo interino da empresa, Xavier Masule, citado num comunicado, a rota Windhoek-Luanda chegou a ser a mais rentável da Air Namíbia, entre 1998 e 2015, mas as circunstâncias mudaram.

“Esta ligação apresenta perdas a um nível que não é sustentável e não há perspectivas de que a situação mude no futuro próximo”, afirmou. A Air Namíbia começou a operar esta rota em 1992, logo após a independência da Namíbia, com dois voos semanais, que foram aumentando ao longo dos anos, até chegarem a sete voos por semana em 2014/15.

O porta-voz da Air Namíbia, Twakulilwa Kayofa, explicou que a situação mudou quando a economia angolana começou a regredir e a procura de viagens aéreas diminuiu. Os passageiros dos voos afectados serão encaminhados para voos operados pelas Linhas Aéreas de Angola (TAAG) e não sofrerão efeitos negativos, de acordo com a empresa namibiana.

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up