Domingo, 25 de Agosto de 2019
Follow Us

Quarta, 07 Agosto 2019 20:14

Banco Económico (Antigo BESA) nas mãos da Sonangol

Manuel Vicente e outros antigos altos cargos do governo angolano obrigados a reembolsar ao Sonangol os ativos que tinham no Banco Económico. A Lektron Capital e a Geni beneficiaram de financiamentos do Estado, através da Sonangol, para a aquisição de participações sociais no Banco Económico, antigo Banco Espírito Santo Angola (BESA)

Petrolífera angolana passa agora a controlar 70,378% do capital do Banco Económico, passando a nomear a maioria dos membros da comissão executiva.

O Banco Económico, que em 2014 sucedeu ao BES Angola, então detido em 51,94% pelo Banco Espírito Santo, passa a partir de agora a ser controlado maioritariamente pela Sonangol.

Esta decisão foi aprovada esta quarta-feira pela assembleia geral que caucionou um aumento de capital para 1.200 milhões de dólares e nomeou para novo presidente da Comissão Executiva o economista João Quinta.

Na base desta alteração, segundo apurou o Expresso, estaria a necessidade “imperiosa de cumprimento dos rácios de solvência decorrentes de imparidades da carteira de crédito.”O Novo Banco, detentor de 9%, anunciou a impossibilidade de acompanhar o aumento do capital por “limitações regulamentares”. Por outras razões, o mesmo sucederá com a Geni, detida pelo general Leopodino Nascimento, que atualmente tem 20%.

Já a Letktron, pertencente a Manuel Vicente, ex-vice presidente de Angola, e ao general Hélder Vieira Dias, “Kopelipa”, antigo chefe da Casa Militar da Presidência, confrontada com um aumento de capital na ordem de mais de 500 milhões de dólares, optou por abandonar a estrutura acionista do banco.

Indicado pela Sonangol, João Quintas substitui Pedro Cruchinho, o português do Novo Banco que até então dirigia a instituição. Ao deter 70,378% do capital do banco, a petrolífera angolana nomeou a maioria dos membros da Comissão Executiva.

O antigo Ministro da Economia, Pedro Fonseca, será o Presidente do Conselho de Administração e Hermínio Escórcio, que fora embaixador de Angola na Argentina e ex-director geral da Sonangol, exercerá as funções de Presidente da Assembleia Geral. 

Ata de Assembleia Geral universal dos acionistas do Banco Economico

Os acionistas do Banco Economico realizaram hoje, 07 de agosto de 2019, na sede do banco uma Assembleia Geral universal, ao qual deliberou-se no âmbito das suas competências legais, a aprovação das contas do exercício de 2018, o aumento de capital, bem como alteração dos órgãos sociais.

Decorrente da nova estrutura accionista, onde a Sonangol passa a deter a participação maioritária do capital da sociedade, os accionistas deliberaram, por unanimidade, a nova composição do Conselho de Administração, para o período 2019-2022:

Conselho de Administração

• Presidente: Dr. Pedro Luís da Fonseca

• Vice-Presidente: Dr António Manuel Ramos da Cruz (Administrador Não Executivo)

• Vogal: Drª. Alice Marisa Leão Sopas Pinto da Cruz (Administrador Não Executivo)

• Vogal: Dr. Atandel Joshua Dombolo Chicava (Administrador Não Executivo)

• Vogal e Presidente da Comissão Executiva: Dr. João Salvador Quintas

• Vogal: Drª. Henda N'zinga da Câmara Pires Teixeira (Administrador Executivo)

• Vogal: Dr. José Alves Nascimento (Administrador Executivo)
• Vogal: Dr. Arlindo Ngueva Narciso Das Chagas Rangel (Administrador Executivo)

• Vogal: Dr. Jorge Pereira Ramos (Administrador Executivo)

Foi igualmente designado para Presidente da Mesa da Assembleia, o Dr Herminio Escórcio e para Vice-Presidente, Dr Inocêncio Francisco Miguel.

O Banco Económico reconhece o mérito e agradece os membros cessantes do Conselho de Administração pelo contributo no desempenho e sucesso do banco e sucesso, na concretização dos objectivos definidos.

O novo Conselho de Administração inicia funções a partir do dia 09 de Agosto de 2019. EXPRESSO/BE

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up