Quarta, 05 de Agosto de 2020
Follow Us

Terça, 07 Julho 2020 21:26

Covid-19: Testagem massiva inicia quarta-feira em Luanda

Com vista a travar a evolução da covid-19 no país, particularmente em Luanda, a Comissão Interministerial de Prevenção e Combate à Pandemia inicia, nesta quarta-feira (dia 8), a partir das 8h00, uma campanha de testagem massiva a nível de alguns mercados de refência.

A jornada deverá começar pela "Praca do Catinton", no município do Kilamba Kiaxi, seguindo-se aos mercados do 30 (em Viana), do Kikolo e do Asa Branca (no Cazenga) e, por fim, no bairro Mártires (distrito urbano da Maianga - Luanda), numa primeira fase.

De acordo com a ministra da Saúde, Sílvia Luticuta, que falava na conferência de imprensa de actualização dos dados epidemiológicos sobre o novo coronavírus no país, para o efeito estão disponíveis seis mil testes para uma missão que se avizinha trabalhosa.

Angola registou, nas últimas 24 horas, segundo a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, 33 novos casos positivos e dois óbitos por Covid-19. Com isso, o país passa a contar, actualmente, com 386 infectados, com 117 recuperados e 21 óbitos e 248 casos activos.

Destes, 9 foram registados no município do Cazengo, província do Cuanza Norte, que em consequência vai observar cerca sanitára (tal como Luanda, a apartir de quinta-feira (dia 9).

Proibida transladação de cadáveres

À luz das novas medidas de prevenção e combate à covid-19, que entram em vigor na quinta-feira (dia 9), estará proibida a transladação de cadáveres de pessoas mortas por essa pandemia, de a para qualquer ponto do país, realizando-se o funeral localmente.

Enquanto isso, os mortos por outros motivos, mormente doença, poderão ser transladados, mas apenas com dois acompanhantes, informou (hoje) o ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida, durante o anúncio das novas recomendações.

Na ocasião, o governante esclareceu que, em funerais de falecidos por covid-19, só poderão participar cinco membros da família, ao passo que nos de indivíduos "extra-covid-19" (óbitos normais), apenas 10 entes queridos, e sempre no período diurno.

Adão de Almeida fez esse pronunciamento, em conferência de imprensa sobre as cercas sanitárias de Luanda e do Cazengo, a seguir a uma reunião, à tarde, entre o Presidente da República, João Lourenço, e a Comissão Interministerial para Prevenção e Combate à Pandemia.

Rate this item
(2 votes)

Log in or Sign up