Terça, 10 de Dezembro de 2019
Follow Us

Segunda, 02 Dezembro 2019 21:25

Ministro da Comunicação Social descarta greve na RNA

O ministro da Comunicação Social, Nuno Albino “Carnaval”, afirmou, nesta segunda-feira, que está descartada a greve na Rádio Nacional de Angola (RNA).

De acordo com o ministro, que falava após um encontro com o Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA), todas as questões pendentes no caderno reivindicativo devem ser atendidas até 15 ou 20 deste mês.

“A paralisação está posta de parte. Estamos a criar proximidades, novas dinâmicas de dialogo para que não se chegue à greve”, declarou.

Dado o ambiente na apreciação dos pontos constantes no caderno reivindicativo, Nuno Carnaval afastou o cenário de paralisação dos funcionários da RNA.

O governante considerou ter sido um bom exercício, de dialogo e de consenso destinado a encontrar uma base de entendimento e convergência sobre os pontos apresentados pelos trabalhadores da RNA.

Entre os pontos em resolução, Nuno Carnaval apontou os ligados aos subsídios e retroactivos das chefias intermedias.

Adiantou que outras questões serão analisadas em encontros com os ministérios da Administração Pública, Emprego e Segurança Social e da Educação, para encontrar-se consensos sobre os casos das incompatibilidades e duplas efectividades.

Por seu turno, o secretário-geral do SJA, Teixeira Cândido, considerou o encontro inconclusivo, mas disse que não se chegou a consenso sobre o ponto relacionado com os profissionais que também dão aulas.

Esta situação, lembrou, é considerada pelo Conselho de Administração da RNA como incompatível com o exercício do jornalismo.

O sindicalista informou que nesta terça-feira haverá um encontro entre os ministérios da Comunicação Social, da Educação e da Administração Pública, Emprego e Segurança Social, com a presença do SJA e do Conselho de Administração da RNA para a busca de consenso.

Anunciou que após esse encontro, o SJA vai convocar uma reunião com os trabalhadores da RNA para a tomada de decisão.

A 24 de Novembro a Assembleia-Geral de Trabalhadores da RNA havia dado 10 dias ao Conselho de Administração da instituição para cumprir parte das reivindicações constantes do caderno negociado e assinado em Abril do corrente ano.

No documento constam quatro pontos do caderno reivindicativo, “que não foram cumpridos até à presente altura”, entre os quais os direitos dos trabalhadores.

Do documento apresentado constam, igualmente, as correcções resultantes da aplicação do qualificador ocupacional, que não foram satisfeitas.

Em Junho deste ano, a RNA criou uma comissão de reclamações, com a participação de um representante do Sindicato e do Ministério da Comunicação Social, para avaliar e decidir sobre as reivindicações apresentadas.

Um dos pontos principais deste caderno reivindicativo era referente ao reajuste salarial, mas viabilizado pelo Estado, enquanto accionista único.

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up