Segunda, 22 de Julho de 2024
Follow Us

Sexta, 15 Dezembro 2023 23:50

Fitch mantém rating de Angola em B- com perspetiva de evolução estável

A agência de notação financeira Fitch Ratings decidiu hoje manter o 'rating' de Angola em B-, com um perspetiva de evolução estável, prevendo um crescimento económico de 1,2% e uma inflação de 24,5% no próximo ano.

"O 'rating' de Angola equilibra os fracos indicadores de governação, a elevada inflação, os elevados níveis de dívida pública em moeda estrangeira e um dos maiores níveis de dependência de matérias-primas entre os países classificados pela Fitch, com reservas externas maiores que os seus pares, excedentes da balança corrente e riscos de dívida geríveis", lê-se na nota que acompanha a decisão de manter o rating em B-.

Na nota enviada esta noite aos investidores, a Fitch Ratings prevê uma subida da inflação, de 13,8% este ano para 24,5% no próximo ano, antes de abrandar para 16,6% em 2025, e um ligeiro crescimento económico de 0,2% este ano, que subirá para uma média de 1,2% entre 2024 e 2025.

A subida dos preços deve-se à depreciação do kwanza e à implementação da reforma dos subsídios aos combustíveis, diz a Fitch Ratings, que prevê também um forte abrandamento do crescimento económico, depois de um crescimento de 3% em 2022.

"O crescimento mais fraco reflete o abrandamento na produção de petróleo, que deverá cair para uma média de 1,09 milhões de barris por dia este ano e 1,05 milhões nos próximos dois anos, quando em 2022 a produção diária foi de 1,14 milhões de barris", dizem os analistas.

O fraco crescimento económico e a elevada inflação, a que se junta a escassez de moeda externa, vão ter um impacto significativo no consumo e nas importações de bens, o que vai abrandar a atividade não petrolífera e significa que "o crescimento de Angola vai ficar abaixo da média de 3,3% que é prevista para a média dos países com rating B em 2024 e 2025".

A dívida, apontam, deverá aumentar para 80,5% do PIB no final deste ano, piorando face aos 60,5% de 2022, "principalmente pelo impacto da depreciação do kwaza no elevado nível de dívida em moeda externa, mas o rácio vai descer para 70% e 66,7% em 2024 e 2025, refletindo o crescimento do PIB nominal e excedentes orçamentais primários", diz a Fitch, concluindo que, apesar desta melhoria, Angola vai continuar com um rácio da dívida pública acima da média de 54,4% estimada para os países com um rating de nível B.

Os analistas da Fitch lembram que as amortizações de dívida previstas para este ano serão de 5,6 mil milhões de dólares (5,1 mil milhões de euros), a que acrescem 5 mil milhões de dólares (4,5 mil milhões de euros) no próximo ano e 6 mil milhões de dólares (5,5 mil milhões de euros) em 2025, o que compara com pagamentos de 4,8 mil milhões de dólares (4,4 mil milhões de euros) feitos no ano passado.

"As amortizações da dívida serão feitas através de uma combinação de desembolsos de fontes bilaterais e multilaterais, utilização de depósitos do governo e liquidez nas contas relacionadas com os empréstimos à China, que usam o petróleo como garantia", conclui a Fitch.

Antecipando reservas internacionais robustas de 14,5 mil milhões de dólares (13,2 mil milhões de euros) no final deste ano, que deverão aumentar para 15,2 mil milhões de dólares (13,9 mil milhões de euros) em 2025, a Fitch Ratings escreve que estes montantes implicam reservas de importações de 5,7 meses, bem acima da média de 3,3 meses para os países classificados com B.

Rate this item
(0 votes)