Domingo, 03 de Julho de 2022
Follow Us
Destaques

Destaques (23)

Mulher, irmã e alguns filhos reunem-se esta quarta-feira com médicos da clínica Teknon, onde o antigo presidente angolano está internado. Estado já não vai suportar despesas médicas, mas filhos vão assumir os custos.

Sem especificar o tipo de insuficiências detectadas, o Tribunal Constituição (TC) estabeleceu até ao dia 05 de julho para que os concorrentes suprimam as falhas e assim estarem habilitados a concorrer às eleições de Agosto próximo.

A filha do antigo presidente angolano, Tchizé dos Santos, afirmou hoje que “não vai permitir que desliguem as máquinas” a José Eduardo dos Santos e acusou o atual chefe do executivo, João Lourenço, de estar a fazer uma gestão política do caso.

As autoridades angolanas estão já a preparar o funeral de José Eduardo dos Santos. No entanto, as filhas do ex-presidente de Angola não querem que se realize em Luanda.

A situação clínica de José Eduardo dos Santos é estável e delicada. O antigo presidente angolano foi internado, no passado dia 23 de junho, na unidade de cuidados intensivos do Centro Médico Tekon, em Barcelona.

Presidente angolano João Lourenço falou com a esposa de José Eduardo dos Santos, que desde ontem está internado numa unidade de cuidados intensivos em Barcelona

José Eduardo dos Santos já foi visitado pelos filhos Isabel dos Santos e Coreón Du (José Paulino dos Santos) na unidade de cuidados intensivos do hospital de Barcelona onde se encontra.

O candidato a vice-Presidente de Angola pela lista da UNITA, Abel Chivukuvuku, afirma haver apenas duas empresas em Angola a quem são entregues obras do Estado, a Omatapalo e a Carrinho, "os novos monopólios".

A UNITA, maior partido da oposição angolana, submeteu hoje ao Tribunal Constitucional a candidatura às eleições gerais de agosto, com Adalberto Costa Júnior como cabeça de lista e candidato a Presidente da República, e Abel Chivukuvuku para vice-presidente.

A proposta que altera a Lei nº 3/17, sobre o Exercício da Actividade de Televisão, proíbe os operadores de ceder espaços para propaganda política, sem prejuízo do disposto em legislação específica sobre o direito de antena dos partidos políticos na legislação eleitoral.

Página 1 de 2