Menu
RSS

Grupo Quantum Global na busca de soluções negociadas com Fundo Soberano de Angola

Grupo Quantum Global na busca de soluções negociadas com Fundo Soberano de Angola

Os advogados do Grupo Quantum Global apresentaram declarações de testemunhas argumentando que o caso do Supremo Tribunal de Inglaterra do Fundo Soberano de Angola (FSDEA) nunca deveria ter sido levado ao Tribunal e deveria ser anulado.

O Fundo Soberano de Angola (FSDEA) continua em busca de alívio em sua disputa judicial com o Grupo Quantum Global, de acordo com as declarações de testemunhas apresentadas ao Tribunal Superior Inglês por escritórios de advocacia Quinn Emanuel e a Grosvenor Law.

Nas declarações apresentadas pelos escritórios de advocacia, afirmou que “O FSDEA não mencionou ao tribunal que o grupo forneceu total visibilidade e transparência na gestão dos seus acordos de parceria limitada baseados nas Ilhas Maurícias, que estão sujeitos a uma disputa contratual.

O caso legal do FSDEA contra a Quantum Global, que desencadeou a ordem de congelamento mundial no grupo em 27 de abril, inclui reclamações que mostram uma falta fundamental de entendimento das leis relevantes, como os ativos foram geridos profissionalmente e os termos de seus próprios contratos. Declarações de testemunhas.

A razão pela qual o FSDEA recorreu aos tribunais Ingleses foi claramente para tentar sair dos compromissos contratuais assumidos pela anterior administração do FSDEA, que foi removida em janeiro pela nova administração Angolana.

Os processos judiciais têm colocado os ativos geridos pela Quantum Global em uma posição incerta, com o risco de que os ativos do próprio FSDEA, e do povo angolano, a longo prazo, podem sofrer danos ou perdas.

Esta destruição de valor já está a ser visto. Os trabalhadores angolanos estão a perder os seus empregos e importantes projetos sociais e económicos estão paralisados devido às alegações judiciais erradas do FSDEA. Quanto mais cedo o FSDEA resolver este problema, melhor para o povo angolano. A Quantum Global espera, portanto, chegar a uma resolução justa da disputa com o FSDEA que preserve o valor desses investimentos em benefício do povo Angolano.

Quantum Global declarou que não foi a primeira vez, nos últimos meses que falsas acusações foram feitas contra o grupo e o seu presidente e fundador.

Notícias infundadas vincularam a Quantum Global a transação de $500 milhões operação que é objecto de uma investigação por parte das autoridades Angolanas. A Quantum Global tem afirmado repetidamente que nem o grupo, nem o seu fundador tinham qualquer conhecimento prévio desta transação antes de esta ter sido divulgada na imprensa, o que é um facto que os advogados do FSDEA confirmaram na apresentação do tribunal afirmando que não houve envolvimento

Last modified onSegunda, 18 Junho 2018 21:13
.
.
.
.
back to top

Recomendamos