Menu
RSS

Influência política e poder de controle na “Nova Angola”

Influência política e poder de controle na “Nova Angola”

O novo governo angolano fez da transparência e da reforma econômica o seu manifesto, o qual está conquistando a boa vontade entre investidores internacionais e impulsionando sua popularidade no país.Entretanto, os princípios centrais de controle sobre a economia política do país permanecem firmemente alinhados à mesma elite que dominou a Angola por gerações

No centro da nova estrutura política de controle está o ex-vice-presidente Manuel Vicente, que retornou ao centro do poder político em Angola e que, por meio de sua família e aliados próximos, mantém uma influência extraordinária sobre a economia.

Vicente era parte do todo poderoso ‘Triunvirato‘, o qual dominou a esfera empresarial de Angola.Mediante uma rede de investimentos e holdings comerciais, Vicente ainda é um dos políticos mais ricos e influentes no poder econômico do país.Mesmo que politicamente marginalizado ao final do governo anterior, ele detém o interesse comercial através de setores chave como o bancário, o de telecomunicações, o de energia e o de logística.

Durante o ano passado, Vicente readquiriu boa parte do controle sobre a petroleira estatal Sonangol, bem como do banco central e do ministério de economia, onde seus aliados políticos foram nomeados para posições de liderança. Sua família também está criando novos laços comerciais com a família do novo presidente, João Lourenço, enquanto seus parceiros comerciais mais próximos estão se beneficiando das recentes alocações de contratos. Ao trazer Vicente de volta a uma posição de influência política e o protegendo de várias investigações de corrupção a nível internacional, o Presidente João Lourenço encontrou uma aliança poderosa em sua campanha para consolidar sua própria autoridade e processar membros da família do ex-presidente.

Entretanto, o retorno de Manual Vicente traz significativos riscos políticos, de reputação e transparência que podem prejudicar o manifesto popular do governo em probidade e liberalização econômica. Este relatório identifica uma série de transações recentes e inteligência de fonte local que destaca a prevalência de tais riscos.Este relatório busca descobrir a nebulosa rede de sobreposição de interesses comerciais, os quais mais uma vez ameaçam deter a economia angolana e concentrar a riqueza substancial do país nas mãos de uma pequena elite política e empresarial. EXX Africa

Last modified onTerça, 25 Setembro 2018 19:10
.
..
.
.
back to top

Recomendamos