Menu
RSS

Instituto Nacional de Aviação Civil sob investigação

Instituto Nacional de Aviação Civil sob investigação

Voos da Air Guicango estão suspensos na sequência da queda de um dos seus aviões, a 12 de Outubro, na Lunda-Norte, enquanto regulador do sector se encontra sob investigação do Ministério dos Transportes.

Suspeitas de irregularidades no regulador

O Instituto Nacional de Aviação Civil (INAVIC) está sob inquérito do Ministério dos Transportes, na sequência da queda do avião da Air Guicango, ocorrido a 12 de Outubro, minutos depois de descolar do aeroporto da Lunda-Norte em direcção a Luanda.

A investigação, conduzida pelo Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes Aeronáuticos (GPIAA), afecto àquele ministério, pretende apurar se o regulador da aviação civil tem actualizadas as inspecções à Air Guicango, segundo fontes do VALOR ligadas ao INAVIC, que também garantiram não terem sido problemas técnicos que provocaram o despenhamento do aparelho. Além do INAVIC, a proprietária do avião, a companhia privada Air Guicango, também se encontra sob investigação do GPIAA.

Se forem comprovadas negligências por parte de as ambas instituições inquiridas, poderão ser aplicadas sanções, como a suspensão de voos e a orientação de reestruturação da empresa, se for o caso, por exemplo, da operadora aérea.

Aliás, enquanto ocorre o inquérito, a Air Guicango está proibida provisoriamente de levantar voos. No entanto, o director do GPIAA, Luís Solo, avançou já a possibilidade de o avião ter sido atingido por descargas eléctricas atmosféricas, que terão provocado incêndio num dos motores.

O acidente aéreo vitimou os setes ocupantes, sendo três tripulantes angolanos e quatro passageiros estrangeiros (quatro sul-africanos e um português). A Air Guicango é uma empresa certificada para operações comerciais não regulares.

Entretanto, a investigação sobre o INAVIC e a Air Guicango ocorre numa altura em que uma outra companhia doméstica, a Air 26, se encontra, há mais de um ano, proibida de voar pelo facto de o regulador ter detectado irregularidades que põem em causa questões de segurança.

Orientada a reestruturar a empresa, a direcção da Air 26 submeteu, em Agosto, ao regulador de aviação comercial angolana documentos com informações sobre o ponto de situação da reforma.

No entanto, este relatório, que se encontra em apreciação dos peritos do INAVIC, espelha apenas parte das orientações já realizadas, pelo que não dá ainda o direito do levantamento da suspensão de voos. (Valor Economico)

Modificado emsegunda, 23 outubro 2017 13:18

Mídia

voltar ao topo
Apresentadora da TPA encontrada morta em Viana após rapto

Apresentadora da TPA encontrada morta em Viana após rapto

A apresentadora da Televisão Pública de Angola Beatriz Fernandes foi hoje encont...

Medo do MPLA: Oposição obteve maioria na Assembleia Nacional

Medo do MPLA: Oposição obteve maioria na Assembleia Nacional

O pleito eleitoral de 23 de Agosto 2017 acabou na lógica de “tudo muda sem nada ...

CNE proclama MPLA vencedor das eleições gerais 2017

CNE proclama MPLA vencedor das eleições gerais 2017

A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) de Angola proclamou, hoje, oficialmente, o M...

Veja a mansão que a Odebrecht construiu para o ditador de Angola com seu dinheiro

Veja a mansão que a Odebrecht construiu para o ditador de Angola com seu dinheir…

José Eduardo dos Santos é destes amigos improváveis arranjados pela diplomacia b...

PAGINAS PRINCIPAIS

ENTRETENIMENTO

  • Shows
  • Música

DESPORTO

  • Girabola 2016                         
  • Outros Esportes

SOBRE NÓS

  • Grupo Media VOX POPULI

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Instagram

RÁDIOS & TV

Radio AO24 Online

Em Breve