Menu
RSS

Eduardo dos Santos reaparece e elogia "mestria" de Lourenço na vitória do MPLA

Eduardo dos Santos reaparece e elogia "mestria" de Lourenço na vitória do MPLA

O presidente do MPLA, José Eduardo dos Santos, felicitou hoje o novo chefe de Estado angolano, João Lourenço, pela "mestria" na condução das eleições de agosto, naquela que foi a sua primeira intervenção pública depois de deixar o poder.

José Eduardo dos Santos não menciona eventual saída em 2018

A posição foi assumida pelo ex-Presidente da República no discurso de abertura da IV reunião ordinária do Comité Central do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), que se realiza durante todo o dia de hoje em Luanda, a primeira após as eleições gerais de 23 de agosto, às quais José Eduardo dos Santos já não se recandidatou, após 38 anos no poder.

Contudo, na mesma intervenção, o líder do partido, com 75 anos, não apontou qualquer prazo para deixar a presidência do MPLA ou para a marcação de um congresso extraordinário, depois de há um ano e meio ter adiantado que em 2018 pretendia deixar a vida política ativa.

Para José Eduardo dos Santos, a vitória do MPLA nas eleições de agosto (com 61% dos votos), "foi o resultado do empenho e da entrega total dos militantes, simpatizantes e amigos do partido que, durante a campanha eleitoral, não pouparam esforços no apoio às iniciativas que visavam esclarecer, divulgar e mobilizar o eleitorado em torno dos objetivos" do partido.

"Felicito também os camaradas João Lourenço e Bornito de Sousa, cabeças-de-lista do MPLA [às eleições gerais, eleitos Presidente e vice-Presidente da República], que souberam cumprir com brilho a nobre missão que lhes foi confiada pelo Comité Central, galvanizando com mestria e de forma incansável o eleitorado, e o povo em geral, para obtermos o resultado favorável e assim mantermos o poder político [desde a independência, em 1975]", disse José Eduardo dos Santos.

O antigo chefe de Estado não se referiu a um qualquer prazo para deixar a liderança do seu partido, nem evocou neste sentido a marcação de um congresso extraordinário, apesar de ter oficializado no início de 2016 que não pretendia recandidatar-se à presidência da República e que iria permanecer na política activa até 2018.  

Nesta que foi a primeira intervenção pública desde que João Lourenço - que é também vice-presidente do MPLA - foi empossado como chefe de Estado angolano, a 26 de setembro, José Eduardo dos Santos exortou os 150 deputados eleitos pelo partido para que "cumpram com zelo e dedicação o seu principal desígnio, que é o de representar condignamente os interesses do povo".

"O MPLA felicita também a postura do eleitorado angolano que deu ao mundo uma excelente lição de civismo, de maturidade política, com um comportamento disciplinado e tolerante, que deve ser louvado a todos os títulos", disse.

..
..
back to top

Recomendamos