Menu

PDP-ANA decide permanecer na CASA-CE

PDP-ANA decide permanecer na CASA-CE

O PDP-ANA decide permanecer na CASA-CE, mesmo não tendo nenhum dos seus dirigentes sido eleitos deputados pela coligação. O presidente daquela formação política, Simão Makassu, considera que a eventualmente transformação da CASA-CE em partido não o leva a abandonar a coligação.

Em conversa com a VOA, Makassu mostra-se satisfeito por pertencer a uma formação política parlamentar e, por isso, vai manter-se durante os próximos cinco anos na coligação.

Entretanto, quando a um posicionamento definitivo sobre o assunto, aquele dirigente relega-o para uma convenção do partido, mas lembra que quando o PDP-ANA entrou na coligação disse que “se nos tratarem bem não teríamos problemas em andarmos juntos”.

Recorde-se que Abel Chivukuvuku condicionou a sua permanência na liderança da coligação à transformação da CASA-CE em partido político.

Delegados de mesa da CASA-CE sentem-se injustiçados no Uíge

Delegados de listas das duas maiores formações políticas da oposição na província angolana do Uíge, UNITA e CASA-CE, manifestaram nesta terça-feira, 19, o seu descontentamento por receberem metade do montante do montante prometido como subsídio pelo trabalho realizado nas eleições de 23 de Agosto.

Enquanto os da CASA-CE apontam o dedo à coligação, esta remete a responsabilidade da situação à Comissão Nacional de Eleições (CNE). Eles dizem que apenas recebem cinco mil kwanzas quando a promessa foi de 10 mil kwanzas pelo trabalho.

“APN, FNLA e PRS estão a pagar dez mil kuanzas aos delegados de listas, mas a CASA–CE está a dar-nos cinco mil kuanzas, isso é injusto”, disseram três delegados à VOA.

Em resposta, o secretário para os Assuntos Eleitorais da CASA-CE Alexandre André afirmou que essa situação decorrer de “uma manipulação da CNE que remeteu o dinheiro para apenas um delegado, quando a lei impõe que cada partido tenha dois delegados nas mesas”.

Frente a esta realidade, André afirmou que a coligação optou por dividir o montante entre os dois delegados para que todos fossem contemplados. Aquele responsável queixou-se ainda do facto de o valor de sete milhões de kuanzas ser insuficiente para cobrir o universo de seis mil delegados em toda província.

A VOA contactou a FNLA que, na voz do secretário provincial Lucas Goveia, reclamou dos valores, mas garantiu que já foram pagos os 10 mil kwanzas previstos a todos os delgados.

Para o secretário provincial da UNITA, Félix Simão Lucas, o partido encontra–se nas mesmas condições da CASA-CE, acrescidas do facto de ter um número maior de delegados.

Por sua vez, o primeiro secretário municipal do MPLA, Carlos Alberto, em entrevista não gravada, revelou que o partido não teve dificuldades no pagamento dos delegados de listas. (Voa)

Mídia

voltar ao topo
Medo do MPLA: Oposição obteve maioria na Assembleia Nacional

Medo do MPLA: Oposição obteve maioria na Assembleia Nacional

O pleito eleitoral de 23 de Agosto 2017 acabou na lógica de “tudo muda sem nada ...

CNE proclama MPLA vencedor das eleições gerais 2017

CNE proclama MPLA vencedor das eleições gerais 2017

A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) de Angola proclamou, hoje, oficialmente, o M...

Reclusas no Kwanza Sul denunciam que são obrigadas a fazer sexo em troca da amnistia

Reclusas no Kwanza Sul denunciam que são obrigadas a fazer sexo em troca da amni…

Após a divulgação de imagens que mostram a falta de água e de alimentação em vár...

Veja a mansão que a Odebrecht construiu para o ditador de Angola com seu dinheiro

Veja a mansão que a Odebrecht construiu para o ditador de Angola com seu dinheir…

José Eduardo dos Santos é destes amigos improváveis arranjados pela diplomacia b...

PAGINAS PRINCIPAIS

ENTRETENIMENTO

  • Shows
  • Música

DESPORTO

  • Girabola 2016                         
  • Outros Esportes

SOBRE NÓS

  • Grupo Media VOX POPULI

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Instagram

RÁDIOS & TV

Radio AO24 Online

Em Breve