Angola 24 Horas - Tribunal confirma tratamento do processo de transferência de 500 milhões de dólares
Menu
RSS

Tribunal confirma tratamento do processo de transferência de 500 milhões de dólares

Tribunal confirma tratamento do processo de transferência de 500 milhões de dólares

O presidente do Tribunal Supremo, Rui Ferreira, confirmou a recepção e tratamento do processo de transferência ilegal de 500 milhões de dólares norte-americanos, do Banco Nacional de Angola (BNA) para uma conta do Crédit Suisse de Londres (Inglaterra).

O processo, que envolve o ex-governador do Banco Nacional de Angola (BNA), Valter Filipe, e o antigo presidente do Fundo Soberano, José Filomeno dos Santos, está a ser estudado por um juiz que decidirá pela tramitação a seguir, disse Rui Ferreira na cidade do Luena.

O presidente do Tribunal Supremo falou à imprensa na última sexta-feira, no final da sua visita de três dias à província do Moxico, destinada a inteirar-se do funcionamento dos órgãos de justiça da região, tendo em conta o processo de reforma em curso no país.

“Como sabem, os juízes têm um dever de recato no tratamento público dos processos sob sua jurisdição (…). A esse respeito, posso dizer que esse processo está sim no tribunal supremo”, assegurou o também presidente do Conselho Superior da Magistratura Judicial.

Segundo Rui Ferreira, o referido processo está numa fase inicial de tratamento, pelo que desconhece se haverá ou não uma instrução contraditória sobre o mesmo.

A transferência ilegal foi realizada em 2017, sob pretexto de garantia de um suposto financiamento de 30 mil milhões de dólares, a favor do Estado angolano, o que não aconteceu.

A operação acabaria por revelar-se uma burla contra o Estado angolano. As autoridades londrinas suspeitaram da transferência e, por isso, bloquearam os fundos.

À volta deste processo foram ouvidos nove declarantes e feitas buscas domiciliares e em escritórios, bem como foram apreendidos documentos e outros objectos ligados ao suposto ilícito, nomeadamente computadores, pen drives, entre outros, para se extrair elementos conectados ao crime.

.
..
.
.
back to top

Recomendamos