Angola 24 Horas - Sonangol nega ter sido dona da empresa que contratou Orlando Figueira
Menu
RSS

Sonangol nega ter sido dona da empresa que contratou Orlando Figueira

Sonangol nega ter sido dona da empresa que contratou Orlando Figueira

A Sonangol nega alguma vez te sido dona da Primagest, a empresa que elaborou um contrato de trabalho com o antigo procurador Orlando Figueira, o qual está a ser julgado, entre outros, pelo crime de corrupção.

O Ministério Público, na sua acusação inicial, apontava Manuel Vicente, ex-vice-presidente de Angola e antigo líder da Sonangol, de envolvimento neste processo de aliciamento de Orlando Figueira para conseguir o arquivamento de processos abertos contra si pela justiça portuguesa.

A petrolífera angolana, em comunicado divulgado esta sexta-feira, 13 de Abril, diz que a "Primagest - Sociedade Gestora, S.A. não é, nem era, nomeadamente nos anos de 2011 a 2013, sua subsidiária, nem fazia parte de qualquer estrutura empresarial detida a qualquer título pela Sonangol, E.P., ou de que esta fizesse parte, nem estava, de qualquer outra forma, consigo relacionada".

No comunicado, a Sonangol, agora liderada por Carlos Saturnino, também nega qualquer envolvimento na aquisição da empresa de engenharia portuguesa Coba, uma operação onde se noticiou a participação da petrolífera e que esta, até agora, nunca tinha negado.

"Para que não subsistam dúvidas, a Sonangol E.P. declara expressamente que não tem, nunca teve, directa ou indirectamente, qualquer relação com a aquisição do Grupo Empresarial COBA pela Berkeley — Gestão e Serviços S.A. e pela Leadervalue — Consultoria Investimentos S.A., ou, sequer, com a actividade deste Grupo Empresarial nos anos que se seguiram, seja no que respeita às empresas registadas em Angola, seja no que respeita às empresas registadas em Portugal, nomeadamente a Coba — Consultores para Obras, Barragens e Planeamento, S.A. e a Coba — Consultores de Engenharia e Ambiente, S.A".

A empresa angolana explica assim a necessidade de vir a público desmentir estas ligações que durante anos foram dadas como garantidas.

"Embora, a Sonangol E.P. não reaja a todas e quaisquer notícias publicadas a seu respeito, nomeadamente às que não acarretam repercussões ou prejuízos significativos a si ou a terceiros, no caso em apreço, pela repercussão que pode ter e pela gravidade do que está em causa, não pode deixar de publicamente fazer este esclarecimento". Jornal de Negócios

.
..
.
.
back to top

Recomendamos