Angola 24 Horas - Detenção do Zenu por corrupção é um golpe duro para José Eduardo dos Santos
Menu
RSS

Detenção do Zenu por corrupção é um golpe duro para José Eduardo dos Santos

Detenção do Zenu por corrupção é um golpe duro para José Eduardo dos Santos

Em vésperas de viajar para Espanha, onde deverá submeter-se a consultas médicas, resta agora saber como José Eduardo dos Santos reagirá a mais este duro golpe familiar

Afastado definitivamente do poder há menos de quinze dias, José Eduardo dos Santos sofreu nesta segunda-feira o mais duro golpe da sua vida: a detenção preventiva do seu filho mais velho, José Filomeno dos Santos, antigo Presidente do Fundo Soberano de Angola.

“Profundamente abalado com esta noticia, está a ter um fim inglório”, disse ao Expresso um antigo companheiro de Eduardo dos Santos. Há quase dez anos, numa decisão muito contestada, o antigo Presidente, dono e senhor absoluto do poder, ao disponibilizar dos recursos públicos cerca de 5 mil milhões de dólares para serem geridos pelo filho, estava longe de prever um desfecho tão dramático para a família.

“E este não é o único caso a tirar-lhe o sono”, recorda fonte do Ministério Público para lembrar que ainda há uma semana José Filomeno dos Santos havia sido acusado de estar envolvido em “crimes de associação criminosa, tráfico de influência, burla e branqueamento de capitais” no caso dos 500 milhões de dólares do Banco Nacional de Angola.

Encarcerado agora na cadeia de S. Paulo, Zenú, como também é conhecido, para além de ser novamente acusado, neste caso do Fundo Soberano, de “associação criminosa”, são-lhe imputados pelo Ministério Público crimes ligados “ao recebimento indevido de vantagem, corrupção, participação económica em negócio, peculato, branqueamento de capitais e burla por defraudação” através de um alegado desvio, daquela instituição, de cerca de 3 mil milhões de dólares.

Esse dinheiro terá ido parar às contas de várias empresas do suíço Jean Claude Batos de Morais, que, segundo fonte judicial, terá feito aplicações em beneficio próprio em diversos projetos fantasma. Com José Filomeno dos Santos foi, por isso, também preso este seu antigo sócio tido como o verdadeiro arquiteto de várias operações financeiras tidas pelas autoridades como altamente lesivas dos interesses do Estado.

“Com uma postura muito arrogante, este suíço foi longe demais ao desafiar a autoridade do Estado com propostas chantagistas absolutamente insustentáveis”, disse ao Expresso fonte do Ministério das Finanças, que acompanha o processo.

Em vésperas de viajar para Espanha, onde deverá submeter-se a consultas médicas, resta agora saber como José Eduardo dos Santos reagirá a mais este duro golpe familiar. Expresso 

.
..
.
.
back to top

Recomendamos