Menu
RSS

Presidência da República desmente supostas exonerações de oficiais generais

Presidência da República desmente supostas exonerações de oficiais generais

A Presidência da República desmentiu hoje uma notícia veiculada pela ANGOP e retomada pela Rádio Nacional de Angola, segundo a qual o Presidente João Lourenço teria exonerado, nos últimos dias, oficiais generais da Casa Militar.

Numa declaração à Televisão Pública de Angola, o secretário do Presidente da República para os Assuntos de Comunicação Institucional e Imprensa, Luís Fernando, esclareceu que, “não sendo propriamente falsa”, a informação foi retirada do seu contexto.

Na verdade, a notícia fazia referência a uma movimentação de quadros na Casa de Segurança do Presidente da República, ocorrida há três meses, mais precisamente em Abril último.

Embora tenha sido feita com base no Decreto Presidencial nº 142/18, publicado no Diário da República da 1ª série, nº 85, de 11 de Junho de 2018, a notícia retomava um assunto ocorrido em Abril, altura em que foram efectuadas as exonerações.

No mesmo mês e depois das exonerações, os oficiais em causa foram nomeados para novos cargos, tomaram posse e estão a exercer normalmente as suas funções, facto esse a que a notícia divulgada não fazia referência.

“Obviamente que isso provocou uma profunda desinformação na sociedade, a começar pelas próprias pessoas visadas, criando, também, um clima de alguma instabilidade nas pessoas que escutaram a notícia”, disse Luís Fernando.

“Nada disso acaba de acontecer, é uma notícia passada”, tranquilizou o secretário do Presidente da República. 

Ao mesmo tempo, Luís Fernando deixou claro que falharam os procedimentos no sentido de que a informação tivesse sido confirmada junto da Casa Civil do Presidente da República.

“A nossa profissão é de altíssimo risco”, conclui Luís Fernando antes de recomendar aos jornalistas todo o cuidado possível no tratamento dos conteúdos noticiosos, particularmente os relacionados com o Presidente da República, cuja Casa Civil deve ser a única fonte autorizada a confirmar os factos.     

..
..
back to top

Recomendamos