Menu
RSS

Dra Sílvia Lutukuta: Uma nova página aberta para a mudança progressiva do sector da saúde

Dra Sílvia Lutukuta: Uma nova página aberta para a mudança progressiva do sector da saúde

A saúde é a alma da humanidade, neste ângulo, nenhuma sociedade será capaz de sobreviver sem ela, é desde logo, a pedra angular da vida, sem esta, a vida torna – se numa viagem completamente trágica, incapaz de ser realizada, de então, a eleição de bons agentes para os cargos do sector da saúde, sobretudo no nosso meio, virá definir um novo contexto, um novo panorama, uma nova página aberta para o futuro da saúde em Angola, neste prisma, apontamos por ser a mais acertada escolha no que tange ao actual papel de ministra imputada na pessoa da Dra Sílvia Lutukuta, uma mulher com qualidades intelectuais exacerbadas, expressas no rigor, na coesão, na acção, nos bons resultados, na análise cuidadosa dos programas e projectos traçados, na exigência aos seus colaboradores no âmbito do cumprimento escrupuloso do programa de governo entregue às suas mãos.

Saíra somente o Sector da saúde a ganhar com a chegada ao patamar de Ministra da pessoa mais esperada por todos os funcionários do ramo da saúde para tal exercício, por ser uma pessoa de exigência inata, de carácter sério e coeso, uma pessoa humana e completamente dedicada ao bem comum de todos os doentes. Com a pessoa da Dra Sílvia Lutukuta, espera - se, desde então, ouvir o sussurrar de um sistema de saúde em Angola plenamente reformado e mudado.

Os sistemas de saúde e os determinantes da sua evolução são de uma grande complexidade. Os sistemas de saúde evoluem sob o jogo de pressões contínuas de interesses e pontos de vista distintos. Para a governação da saúde, o desafio centra-se em conseguir compatibilizar a promoção e a protecção da saúde das pessoas, com a necessidade de incentivar o crescimento económico da comunidade.

O grande desenvolvimento que o País atingiu, com o crescimento da rede de saúde caracterizada por uma variedade de hospitais dispersos na natureza angolana, bem como o aumento de equipamentos científicos e tecnológicos avançados, permitiu resolver muitos dos problemas de saúde do passado, mas, contribuiu para que hoje sejamos confrontados com problemas novos e mais complexos, entre outros, a necessidade em cuidados de saúde motivadas pela necessidade do aumento da esperança de vida, o aumento do envelhecimento progressivo da população, maior incidência e prevalência de doenças crónicas, a necessidade de humanização prática dos cuidados de assistência hospitalar, o que origina novos desafios ao sistema de saúde Angolano, implicando mesmo reformas e mudanças prementes.

Todavia, apesar da existência de vários desafios apontados sobre o sistema de saúde angolano, a crise económica que assola o país, é o pior obstáculo para a marcha dos acontecimentos de maneira rectilínea e eficiente, num sistema como o nosso que nada produz e somente depende do OGE do estado, tornando desde então, difícil as circunstâncias porque passa o actual Sistema de Saúde Angolano. A crise económica, gera novos problemas sociais e de saúde com elevada ênfase na acessibilidade a serviços de saúde, na incapacidade agravada com o isolamento (com a consequente dependência de estruturas de apoio), no número de famílias com recursos económicos escassos, na diminuta capacidade do sistema de Saúde de dar resposta às demandas quotidianas decorrentes da escassez de quase todos os recursos. Neste prisma, há que adoptar medidas que visam apaziguar este drama, e que permitam a construção de soluções aos desafios que se impõem sobre o ramo da saúde, independentemente das circunstâncias que da crise económica advêm, construir linhas de acção que sobrevivam de maneira capaz face ao actual contexto porque passa o País, será de então, o maior desafio a ser enfrentado pela nova Ministra. 

Nos últimos 15 anos, a saúde em Angola, foi o sector que mais beneficiou de crescimento ao longo da sua rede pública em quase todas as paradas do País, crescimento este caracterizado pelo aumento do número de Hospitais, Escolas de Saúde e Faculdades de vária ordem, porém, o sonho de ter um sistema de saúde completamente salutar no que concerne a assistência médico – medicamentosa, ainda não é um facto, todavia, para tal realização é necessário um conjunto de reformas e mudanças que venham dar ao sector de saúde sobre tudo no tocante à assistência hospitalar um novo contexto, um novo horizonte que venha pôr fim a negligência e ao descaso hospitalar, centrando sua total atenção à pessoa do doente num olhar biopsicossocial.

Por vezes, tem-se mesmo a sensação de que as mudanças de política são demasiado rápidas para serem acompanhadas pelo sistema de saúde em Angola, e que este acaba por evoluir de forma independente e ao seu ritmo.

A evolução do sistema de saúde Angolano tem sido marcado, nos últimos anos, por um conjunto de factores que poderão ser analisados em cinco planos distintos: a questão da responsabilidade social e individual no financiamento; dos cuidados de saúde; a possibilidade de se evoluir para um Estado Garantia (que para além de regular, seja prestador de cuidados e exigente na saúde); a aposta na centralidade do cidadão, no contexto da sociedade do conhecimento e da inovação; e, por último, a gestão instituição e mudança nos sistemas de saúde Angolano; a resistência à mudança e aos novos paradigmas por parte dos funcionários do ramo da saúde.

Nesta sorte, para que o sistema de saúde encontre um horizonte à luz de um futuro risonho, é necessário que se coloque em posse da gestão pessoas com bastante apresso à mudança e as reformas emergentes que este sistema requer, todavia, a Dra Sílvia Lutukuta, é desde logo, a pessoa mais certeira, conhecida por todos nós, como a mais ideal, para dar para o amanhã do sistema de saúde um sentido de completa satisfação no plano da assistência hospitalar à pessoa enferma, e da organização do sistema de saúde como um todo.

Sua Excelência Senhora Dra Sílvia Lutukuta, é daquelas médicas que não suporta a desordem, é uma mulher de engajo absoluto e sério, um verdadeiro exemplo de ordem e disciplina para a saúde, uma mulher de entrega absoluta ao trabalho.

A sua nomeação para o grau de Ministra virá, desde logo, impor ordem em toda esfera da saúde, aliás, há muito que se cogitava o sobrevir de alguém capaz de colocar os traços nos tes e as vírgulas nas frases do sector da saúde, de então, a vinda da Doutora Sílvia Lutucuta ao cargo de Ministra, virá desde então, acertar as aresta no território da saúde que clamam há muito por uma mudança no panorama actual da saúde Angolana.

Sua Excelência Sra Dra Silvia Lutukuta, é a pessoa mais certa para o actual panorama assistencial da saúde em Angola!

Bem – haja à Nova Ministra da Saúde!

João Henrique Hungulo: Médico generalista, Pesquisador de Ciências Médicas, Professor Universitário, Escritor, Poeta.

Last modified onQuinta, 05 Outubro 2017 21:53
..
..
back to top

Recomendamos