Menu
RSS

O Dilema das Ditaduras Africanas - Alcides Sakala

Acompanhei esta manha a entrevista ao Embaixador Barrica, na SIC, que é o actual Embaixador de Angola em Portugal. Foi notória a dificuldade que teve em defender o sistema político angolano, que padece de grandes males, cada vez mais conhecidos por todos, dentro e fora do país, que são a corrupção, o desvio de fundos, a arrogância, a má gestão do erário publico, a falta de liberdade de imprensa e as violações sistemáticas dos direitos humanos.

Ficou claro que a actual cúpula dirigente do país é sensível as pressões internacionais, que tem manifestamente dificuldades de conviver em democracia no plano interno e com Estados democráticos de direito, como é o caso de Portugal.

O partido que sustenta o governo em Angola esquece-se que as verdadeiras democracias, sobretudo ocidentais, não são democracias de faz de contas, como é o caso angolano, cujo sistema político em vigor não respeita a sua própria Constituição da República. Ficou claro nesta entrevista que a cúpula angolana gostaria de estabelecer um " arranjo político" com dirigentes portugueses. Dito por outras palavras, dirigentes angolanos enviariam para Portugal dinheiros desviados, e o governo português faria olhos de mercador.

Portugal ficaria, assim, conivente com a corrupção, fazendo do território luso um paraíso fiscal, para os dirigentes angolanos pavonearem-se impunemente com milhões de dólares desviados, como aconteceu recentemente com Bento Kangamba.

Vivendo num mundo global, e sendo o Estado angolano parte do sistema das relações internacionais, a justiça portuguesa deve fazer o seu trabalho sem pressões, nem compadrios, tranquilamente, para se apurarem as responsabilidades. Não vale a pena procurarem-se bodes expiatórios. É do interesse de todos os angolanos e portugueses promover uma cooperação sadia, que paute pela transparência.

Alcides Sakala

Last modified onDomingo, 20 Outubro 2013 21:45
.
.
.
.
back to top

Recomendamos