Angola 24 Horas - José Eduardo dos Santos: O Patriota
Menu
RSS

José Eduardo dos Santos: O Patriota

José Eduardo dos Santos: O Patriota

O Patriota, foi à vários títulos, um homem que se projectou para a defesa dos interesses nacionais, desde a primeira República que se livrou de um grande regime colonial português e de uma Angola culturalmente ancilosada pela ditadura colonial de uma vontade Europeia, de além-mundo. O Patriota representou, por isso, um desejo de cortes com tradições de ditaduras que resultavam de um regime de colonização, e depois de um curso continuado de guerras viciosas imputadas pela UNITA, pelo Apartheid e pelos USA que queriam tomar à força sob suas vontades peculiares Angola a nossa terra – mãe.

Os seus feitos históricos são marcados pela persuasão dos EUA e do Governo da África do Sul, dos quais resultaram os acordos tripartidos realizados na Nova Iorque dando fim à guerra fria. Pela mudança de regime na África do Sul, caracterizada pela derrota dos sul – africanos na geografia do Cuito Cuanavale em Angola, dando fim ao Apartheid, e criando coragem no povo sul – africano de se manifestar e reclamar os seus direitos, porque antes, não andavam tão corajosos como o puderam ser depois das FAPLAS vencerem os sul – africanos na Batalha do Cuito Cuanavale, andavam os sul – africanos presos no medo e escondidos nos lençóis do apartheid. Pela independência da Namíbia pela mesma razão antes citada, e com a ajuda dada aos SWAPO, teria também imposto uma mudança abrupta para Zimbábue, passando o poder a ser liderado por Mugabe, colocando de fora o regime inglês.

Teria dado fim à ditadura no Congo Democrático, que andava a asfixiar a liberdade do povo congolês através de um regime oportunista imposto por Mobuto. Seria o "Patriota" o responsável primeiro pelo fim da ditadura no Congo de Mobuto Sese Seco com a ajuda dada pelas FAA ao exército de Kabilá, que tomou de assalto o Zaire e tornou presidente o mesmo Kabilá.

Teria Chefiado os destinos da SADC e passadas as suas grandes lições de patriotismo. Teria dado paz à região dos Grandes Lagos, que sempre andou esfomeada de paz, e assaltada pelos jagas antropófagos deste vasto continente.

Não é patriota por defender a nação angolana apenas, quem faz isso é nacionalista, não é patriota por correr com os colonizadores apenas, quem faz isso é revolucionário.

É patriota por amar Angola e colocar os interesses do País acima de tudo e de todas as coisas, sem ódio à povos estrangeiros ou vizinhos. É patriota por abdicar a sua vida inteira e servir unicamente à pátria.

É patriota por defender África Austral e não apenas Angola unicamente. É patriota por consagrar a sua vida inteira à luta em prol de Angola, e estar disposto a morrer em nome da terra em que nasceu, lutou, conquistou e viveu.

É patriota por evitar a reacção das forças estrangeiras prontas a chamar em seu domínio as regiões que banham Angola e forjar aí o seu império.

É patriota por defender a integridade territorial angolana, que estava prestes à alienação cuja teia de aranhas perigosas das grandes potências mundiais armadilhava (ela) para lhe tornar refém. É patriota por ter dado o seu melhor para unir o País, e, influenciar em proveito do povo a reconciliação nacional, a implementação da democracia, o fim do monopartidarismo, a implementação de uma economia de mercado livre, e o programa de reconstrução nacional.

É PATRIOTA POR AMAR ANGOLA ANTES DE TUDO, E ACIMA DE TODAS AS COISAS!

Por João Henrique Rodilson Hungulo

.
..
.
.
back to top

Recomendamos