Menu
RSS

As pegadas - Manuel Tandu

As pegadas - Manuel Tandu

Faz já algum tempo que desejo escrever sobre as pegadas... Mas na semana passada por incrível que pareça pude ter uma luz, ou um eureka que me permitiu que das ideias soltas que tinha construir uma ideia sólida.  Através desse eureka, por algum tempo, pude voltar lá nos anos 90, propriamente no bairro Sapú, na casa do meu tio João e a tia Isabel... pude voltar na Escola primária PAPA Yulu (uma escola privada). E vi as brincadeiras que fazíamos no momento de recreio, pude ver o PAPA YULU MABIALA meu professor sentadinho na cadeira, e nós cantando: /Papa Yulu a levanta da cadeira/ /já está na hora de sair/ /Papa Yulu a levanta da cadeira/ /já está na hora de sair/.

Por Manuel Tandu

E quanto mais alto cantávamos e batiamos as palmas, o Papa Yulu se levantava da cadeira devagarinho, e quando baixávamos a voz ele se sentava de novo na cadeira. E ao percebermos que a nossa saída dependia do quão alto iríamos cantar, então levantávamos as vozes e ele acabava de se levantar totalmente e  saía da cadeira, depois nos orientava que saíssemos e fossemos pra casa pois já tinha terminado o período das aulas. Mas, é sobre as conversas no momento de recreio que foi um eureka ou permitiu que das ideias soltas que tinha construir uma ideia mais sólida, que vou focar essa reflexão. Nessa volta ao passado pude ver um momento do recreio onde ouvia as conversas daqueles colegas que frequentavam já a quarta classe, pois nesse período que regresso ao passado estava frequentando a terceira classe.

Naquela altura os bilos principalmente nos bairros como Palanca, Sapú... não eram com blocos, garrafas, paus... eram mesmo lutas limpas, ou de corpo a corpo, quer dizer o lutador vencia a luta se tivesse mais força, ou tivesse alguns conhecimentos das artes marciais. E é nessas conversas no momento de recreio que oiço pela primeira vez das pegadas. Nessas conversas de recreio, um colega tinha contado que assistiu uma luta onde alguém deu uma cabeçada na pessoa que lutava com ele e o mesmo rachou a cabeça. Outro contou que também tinha assistido uma luta onde, viu alguém que deu uma boa cabeçada na pessoa que lutava com ele, e o mesmo acabou de se cagar.  

Mas de todas conversas de luta que ouvi, a que mais me assustou foi ouvir que alguém acabou surrando outro sem lhe tocar. Quer dizer, estava a uma pequena distância da pessoa que lutava com ele, não havia um contacto físico com esta pessoa, essa pessoa que surrava outro a distância, se negava a ter um contacto com a pessoa que surrava, estava sempre a uma certa distância com a pessoa que lutava consigo. Quando o mesmo fazia um gesto, onde dava cabeçada, se ouvia a pessoa que lutava consigo gritando: "Aí minha cabeça". Quando ele fazia um gesto onde dava uma bassula, a pessoa que lutava com ele caía. Quando fizesse um gesto onde dava um cafrique, a pessoa que lutava com ele só gritava já: "aí minha cabeça". Quando fazia um gesto onde empurrava, a pessoa que lutava consigo caía no chão. Quando pegava a sua camisa e fizesse um gesto onde a batia com a camisa, a pessoa que lutava consigo caía no chão, em suma acabava de vencer a luta machucando quem lutava consigo sem ter contacto físico com ele pessoa.

Nessa altura as lutas eram suportadas por pegadas, pois se ouvia já cuidado com aquele gajo tem uma pegada das pesadas. Talvez a alguém pode pensar que isso é ficção, mas não é. Quem já assistiu o catch sabe que há momentos onde um catcheur acaba de surrar quem está lutar consigo no ringue sem mesmo tocar fisicamente esse outro catcheur. Se ele faz um gesto onde dá uma bassula, outro cai. Quando faz um gesto onde dá uma cabeça, o outro cai, quando faz um gesto onde dá um cafrique o outro passa um mau estar, se ele tem um lenço e faz um gesto onde atira esse lenço no lado esquerdo, o outro cai no lado esquerdo. No catch isso é um facto. Mas já naquela altura dos anos 90 isso era um facto nas lutas de bairros. Essa capacidade ou força oculta já naquela altura era chamada de PEGADA. E esse acto de surrar sem ter contacto com quem se está a surrar era chamada já naquela altura de PEGADA DANS LE VIDE, e para a Língua portuguesa DANS LE VIDE é no vazio, no espaço, sem nada, no ar... Ao nível de muitas igrejas neopentecostais e outras de um tempo pra cá, se tem visto que muitos Apóstolos, Bispos, Reverendos, Pastores, evangelistas... têm feito algo que aos olhos de... chamam de Poder de Jeová. Todo mundo que frequenta essas igrejas sabe disso, vê isso todo dia quando vai ao culto...

Vê que no momento de cura e maravilhas ou no momento de oração para a cura dos doentes, muitos desses líderes religiosos chegam a fazer gestos onde os crentes caiem. Quer dizer, se ele pegar no seu casaco e fazer um gesto onde sacode o casaco, os crentes caiem no chão, se ele fazer um gesto com a mão para o lado esquerdo, os crentes caiem no lado esquerdo.  Se ele fazer um gesto com o seu lenço para o direito, os crentes caiem no lado esquerdo... nesses gestos não há um contacto físico com os crentes, mas de cada um dos gestos que ele faz, os crentes caiem em função deste gesto.

Ao nível do catch isso acontece, e qualquer um que já assistiu o catch, sabe que os catcheur fazem isso. E isso é devido uma força oculta, é ocultismo... Na Bíblia Sagrada não há relato de alguém que tinha ficado curado, quando um sacerdote, profeta, Apóstolo... tinha feito um gesto onde atirava o seu casaco, ou quando tinha feito um gesto com a sua mão ao lado esquerdo e o crente caía neste sentido e acabava de ficar curado, ou ter feito gestos com seu lenço e a pessoa caía e ficava curada... ou ter feito gesto onde dava cabeçada nos crentes, e os mesmos caíam e ficavam curados... não existe nenhum relato desse tipo! Pois a cura e maravilhas resulta através da oração e jejum!

O nosso Senhor Jesus Cristo que é o DONO do Cristianismo que é o MODELO, quando esteve em forma física na terra, em nenhum momento fez gestos e as pessoas caíam e ficavam curadas, em nenhum momento na igreja primitiva os Apóstolos fizeram gestos com as mãos, com lenços, roupas e as pessoas caíam e ficavam curadas.

Abraão não fez isso! Jacob não fez isso!  Moisés não fez isso! Josué não fez isso! Otniel não fez isso! Samuel não fez isso! Elias não fez isso! Eliseu não fez isso! Isaías não fez isso, Jeremias não fez isso! Amós não fez isso! Ezequiel não fez isso! Daniel não fez isso! Oséas não fez isso! Obadias não fez isso! Miquéas não fez isso! Habacuc não fez isso! Sofonias não fez isso! Ageu não fez isso! Zacarias não fez isso! Malaquias não fez isso! João Batista não fez isso! O nosso Senhor Jesus Cristo não fez isso! A igreja primitiva não fez isso!

Então irmãos Apóstolos, Bispos, Pastores...  quem é o vosso modelo!? Sóis seguidores de quem!? Aprenderam essas práticas com quem!? Se essa prática que tendes usado ninguém o fez segundo as Escrituras Sagradas, então porquê o fazem!? Se não há uma passagem Bíblica que defende, que orienta que os pastores devem fazer essas práticas, então porquê fazem isso!

Há um relato na Bíblia Sagrada onde uma mulher que sofria de uma doença... certa vez ouviu que Nosso Senhor Jesus Cristo iria passar na rua onde ela vivia, então ela disse: " não preciso que ele me toque, não preciso que ele ore por mi, não preciso dar-me cara a cara com ele, não preciso conversar directamente com ele... mas, mas, se tocar nas suas roupas, eu irei ficar curada".

Atenção! Jesus Cristo não sacudiu a sua roupa e esta mulher caiu e depois ficou curada, não fez gestos com lenço onde a atirava a esta mulher e mesma depois caiu e depois ficou curada, não fez gestos com mão para o lado esquerdo e essa mulher caiu no lado esquerdo e depois a doença que a atormentava cessou. Também não tinha dito a essa mulher que lhe tocasse na roupa pra que ficasse curada.

A própria mulher entendeu segundo a sua fé, que se tocasse na roupa do MESTRE dos mestres, do SENHOR dos senhores, ela ficaria curada, então, ela foi se aproximando, se foi aproximando... e quando tocou na roupa do Nosso Senhor Jesus Cristo ficou curada (Marcos 5: 25-34). Esse relato da Bíblia Sagrada em nada tem a ver com o gesto de atirar o casaco aos crentes e depois caiem, em nada tem a ver com gesto de mexer um lenço e os crentes caiem, em nada tem a ver com gesto de dar cabeçada aos crentes depois caiem, em nada tem a ver com gesto...

O que vimos no programa na Lente é uma prática da esmagadora maioria das igrejas quer neopentecostais e outras. E o acto de fazer gestos e os crentes caiem, em nada tem a ver com Jeová! Em nada tem a ver com a DOUTRINA CRISTÃ! É ocultismo! Essa prática só é notória no ocultismo! E o catch é a prova inequívoca de que esses actos são de ocultismo! E não existe nenhum versículo Bíblico que sustenta que essas práticas são DIVINAS, e o Nosso Senhor Jesus Cristo não orienta que os seus seguidores o façam. Mas as repudia, as condena. Que o Nosso Senhor Jesus Cristo abençoe esta mensagem, de modo que possa redimir o seu povo.  

Manuel Tandu "O Kutualista"

.
. =
.
.
back to top

Recomendamos