Menu
RSS

O Efeito Mugabe nas últimas eleições em Zimbabwe

O Efeito Mugabe nas últimas eleições em Zimbabwe

Robert Mugabe uma figura incontornável em Zimbabwe ascendeu ao poder aos 56 anos de idade quando conduziu o Zimbabué à independência do Reino Unido, em 1980, e assumiu a liderança do país como primeiro-ministro e, mais tarde, como Presidente, em 1987. Em 1980 quando o Robert Mugabe se torna primeiro Ministro, através das primeiras eleições democráticas realizadas em Zimbabwe. Houve quem considerasse que a ascensão do professor primário de origens humildes, ao mais alto cargo político do país seria uma lufada de ar fresco ao país.

Por Manuel Tandu

Neste artigo embora o foco seja "o efeito Mugabe nas últimas eleições em Zimbabwe". Mas, sendo o efeito a consequência da causa. Deste modo, importa voltar até ao ano de 2017, afim de dizer algo sobre a causa que desencadeou "o efeito Mugabe nas últimas eleições em Zimbabwe".

Entendo que as datas que o Robert Mugabe nunca irá se esquecer até os seus últimos dias de vida são: 1980, quando torna-se no  primeiro-ministro da ex-Rodésia (já depois do fim do governo liderado por Ian Smith), ao vencer as primeiras eleições democráticas e Novembro de 2017 quando foi escurraçado do poder pelos militares sob comando do partido a qual ele era presidente e que sustentava o governo.

O Novembro de 2017 foi a causa do efeito Mugabe nas últimas eleições em  Zimbabwe. O que ocorre em Novembro de 2017, leva o Mugabe a virar-se contra o partido a qual é fundador. E  devido este golpe suave que sofre. Ele decide que se o partido não fica sob seu comando, sendo ele o fundador, sendo ele quem o concebeu, tinha a obrigação de o extinguir.

A extinção da ZANU-PF no seu entender passava primeiramente pela sua perda de poder através das eleições. Talvez alguém pode afirmar que essa minha tese não tem nenhuma sustentação. Para aqueles que assim podem pensar. Os  questiono, porque o Robert Mugabe  apelou aos seus fiéis, aos que se reveem nele para que votassem na oposição? E se pode levantar a seguinte questão: "Quando o Robert Mugabe apelou aos que nele se reveem para que votassem na oposição"?

O Robert Mugabe antes da votação disse que não iria votar no partido a qual ele fundou. Ora quem governou um país em quase quatro (4) décadas e esteve a frente dum partido-estado. Essa pessoa em menos de ano (1) ano não perde a sua influência neste país, pois é o cidadão que mais conhece realmente este país, e quem domina as questões das finanças, dos contratos, dos financiamentos...  Na realidade esta pessoa em menos de um (1) ano "fora" do poder seria uma ingenuidade considerar o mesmo como alguém sem alguma influência ou sem capacidade de puder condicionar ou ter uma palavra que pode inverter o  rumo dos acontecimentos neste país, a qual ele conhece mais do que ninguém!

Seria uma ingenuidade se pensar que o Robert Mugabe já não goza de  alguma simpatia nos militantes da ZANU-PF e nos eleitores em geral. Seria uma ingenuidade se pensar que o Robert Mugabe perdeu a autoridade de orientar o sentido de voto!

E quando ele disse que não iria votar na ZANU-PF, ele estava orientando o sentido do voto, ele estava a apelar nos eleitores que nele se reveem que votassem contra a ZANU-PF ou que votassem na oposição.

E os resultados eleitorais destas últimas eleições provam que a ZANU-PF teve um empate com a oposição. Pois a ZANU-PF teve 50, 8%, o MDC teve 44, 6% e  outros partidos políticos na oposição tiveram 4, 6%. E o somatório dos 44, 6% do MDC e os 4, 6% de outros partidos políticos na oposição é igual a  49, 2%. Quer dizer, a ZANU-PF  venceu a oposição política com uma margem de diferença de 0, 8%.

Quer dizer, só por um triz não perdeu as eleições. E a quem diz que o Presidente eleito Emmerson Mnangagwa só venceu estas eleições, pois teve o apoio dos fazendeiros brancos. E isso mostra claramente que há um número significativo de militantes da própria ZANU-PF que obedeceram a orientação do sentido de voto que foi dado pelo Robert Mugabe. E acabaram por apoiar quer financeiramente e na mobilização os partidos políticos na oposição, para que os  eleitores votassem na oposição, para que a ZANU-PF perdesse as eleições e deste modo teriam bases para sustentar a tese de que tinha sido um erro crasso o golpe suave que tinha sido dado ao Robert Mugabe.

O posicionamento do Robert Mugabe e dos seus prós  foi uma retaliação contra a nova liderança de ZANU-PF.

Quer dizer, nessas eleições, o presidente eleito Emmerson Mnangagwa o real adversário que enfrentou não foi o líder do MDC Nelson Chamisa, mas sim o Robert Mugabe.

Pois o Robert Mugabe é um activo que se deve ter em conta e as suas declarações públicas desequilibram o jogo político. Deste modo cabe ao presidente eleito do Zimbabwe materializar as promessas eleitorais,  afim de ganhar maior apoio da população e puder provar que o golpe suave foi uma  atitude acertada e visou  fazer do Zimbabwe numa terra próspera onde os Zimbabuenos podiam se orgulhar.

Mas se ele não fazer diferente do Robert Mugabe irá perder as próximas eleições. Pois ele ainda não é um líder tão consensual na ZANU-PF, ainda não tem o controle total da máquina partidária e dificilmente terá uma carta branca consensual ao nível da ZANU-PF. Pois os pró-Mugabes estarão lá pra provar que o golpe suave foi um erro crasso.

Em suma, o Novembro de 2017, foi a causa que desencadeou o efeito Mugabe nas últimas eleições em Zimbabwe. E a consequência dessa  causa (Novembro de 2017) levou com que o Robert Mugabe apelasse voto contra a ZANU-PF (efeito). Mas, essa atitude do Mbuta muntu Robert Mugabe não foi a mais adequada, pois ele jogou  contra o seu partido, contra o partido político que fundou, e foi na realidade um autogolo.

E por um triz este partido político que ele fundou através do seu autogolo perderia as eleições. Alguém chamou essa atitude de Robert Mugabe de "rancocracia". Pois essa  atitude de Robert Mugabe em nada tem a ver com a democracia é mesmo  rancor.

E isso mostra claramente a ideia que muitos líderes de partidos políticos em África têm. Pois há um número considerável de líderes Africanos que olham pelos partidos políticos que lideram como suas propriedades quer dizer, vuakwawu. E o Robert Mugabe foi muito infeliz ao tomar esta atitude e este pronunciamento do mesmo vem provar que o último desejo do mesmo é levar a sua ZANU-PF na cova.

Manuel Tandu "O Kutualista"

.
.
.
.
back to top

Recomendamos