Menu
RSS

Angola deitada no pano de luto - perde o seu primeiro médico da medicina legal

Angola deitada no pano de luto - perde o seu primeiro médico da medicina legal

Angola derrama lágrimas e deita - se no luto teimoso

Morre a lenda da medicina legal em angola - Professor Doutor Adão Manuel Sebastião.

O fundador da Medicina Legal Angolana, Dr Adão Manuel Sebastião, desafiou todas as formas de saber em medicina Legal, chegou a controlar a maioria do país nos termos do saber das ciências médicas aliadas à elucidação jurídica, morre uma lenda que nem a traça, nem a ferrugem conseguirão apagar o vazio por esta deixada, fica a medicina Legal numa esquina sem saída, num beco quase só. 

Por João Henrique Hungulo

Um dos mais conhecidos senhores das ciências médicas aplicadas aos fins das ciências do direito, morreu indicado de ter uma doença prolongada em causa, que maldita doença que não poupa quem as cura, faz refém homens de valor que não têm preço nem dimensão à explicar, a falta que fará para o País há-de fazer um vazio expresso na miséria nos termos da Medicina Legal Angolana. Este, não foi um médico qualquer, este é daqueles médicos que fez tudo, foi desde o valor preciso ao impreciso, desde o juízo clínico ao juízo científico, desde a Lógica Legal à expressão dos factos clínicos aliados às ciências criminais.

A sua morte faz miséria à Ciência dos processos clínicos que elucidam e desvendam as causas criminais do saber à luz dos padrões jurídicos. Angola ficará sentada numa estrofe alheia e vazia, refém de choros que não param, ficando a medicina Legal à sua sorte, eis que, ninguém mais, mas ninguém mesmo neste terra conseguirá apagar tão cedo com o seu saber, com o seu sacrifício o papel que o Professor Adão fez enquanto Grande mestre de Medicina Legal…

Morre uma lenda fica o País que todos nós chamamos de Angola retido no vazio nos termos das ciências médico – legais.

O vazio que o Professor Doutor Adão faz é daquelas coisas que sobrevivem ao tempo, o maldito vazio estará aí de pedra e cal. Inamovível e sem ferrugem.

Foi um ícon em Angola fez a vez de Ambroise Pare (o Pai da Cirurgia Moderna e também Pai da Medicina Legal, o cientista que intitulou a arte de fazer relatórios em juízo clínico – jurídicos); Adelon (que afirmava ser a medicina Legal considerada em suas relações com a existência das leis e a administração da justiça), Crecchio (que afirmava ser a medicina Legal o estudo do homem são ou doente, vivo ou morto, somente naquilo que possa formar assunto de questão forense); Lacassagne (que afirmava ser a medicina legal a arte de pôr os conceitos médicos ao serviço da administração da justiça); Buchner (que afirmava ser a Medicina Legal a ciência do médico aplicada aos fins da ciência do direito); Maria Leonor (que afirmava ser a Medicina Legal a especialidade que utilizando os conhecimentos técnico-científicos de todas as ciências que subsidiam a medicina tais como a biologia, física, a química e outras, presta esclarecimentos para a actuação extraordinária importância no conjunto de interesses da colectividade porque ela existe e se exercita em razão das necessidades de ordem pública e social); Casper (afirmava ser a Medicina Legal a arte de periciar os efeitos das ciências médicas para auxiliar a legislação e a administração da justiça), por fim, o cientista angolano, Professor Doutor Adão Sebastião afirmava:

“Medicina Legal, é a ramificação médica que trata da violação das células, tecidos, órgãos, aparelhos e sistemas, organismo no seu todo do ponto de vista hospitalar, social, jurídico com ou sem implicações criminais.”

Este último, deixou esta ciência só, ao ar, não há como fazê – lo substituto, porque cientistas partem, mas poucos o poderão sê – lo à seu tempo.

A medicina legal é a arte estritamente científica que estuda os meandros do ser humano e sua natureza, desde a fecundação até depois de sua morte. Ela exige dos seus obstinados professadores, além do conhecimento da medicina e do direito, o de outras ciências, para emitirem pareceres minudentes, claros, concisos, e racionais objectivando criar na consciência de quem tem por missão julgar, um quadro o mais preciso da realidade.

Morre Adão, morre também com ele o saber e a arte de periciar com profundeza em Angola,  morre a altura da Medicina legalis forensis de Paré em Angola, morre a expressão de Relationes medicorum de Fidelis, morre o papel de Questiones medico legalis de Zacchias, morre o rosto da Medicina crítica de Amman, morre o caminho da Schola juris consultorum médica de Valentíni, morre a cosmo - visão de Jurisprudência médica de Alberti, morre a esfera da Antropologia forensis de Hebastreit, morre as páginas escritas de Bioscopia  Forensis de Mayer, morre a arte da Medicina legal judicial  de Prunelle, morre a perícia da Medicina política de Marc, morre a arte da criminologia da Medicina forense de Sydney Smith, morre a amplitude da Medicina judiciária  de Lacassagne.

Fica a ciência à luto de uma era completamente vazia, porque esta foi, nem o tempo, nem a esperança saberão devolvê – la tão cedo.

A sua partida representa, o início de uma era oca para a Medicina Legal Angolana, foi – se uma biblioteca móvel, consultada pelos Senhores das Leis desta terra, fica a Medicina Legal de joelho num palco que plasma pela carência de quadros com qualidade e impacto evidente nos termos da práxis quotidiana. 

 Que maldita doença é essa afinal? Que não sabe poupar cientistas e sabedores como o Professor Adão? Que prefere matar primeiro os bons? Toda acção contra a vontade da humanidade é um terrorismo, essa doença cometeu um terrorismo perante a figura da humanidade. Levou aquele que a pátria os tem à gotas.

Selvagem doença eliminou aquele que era o mestre de todo o saber na área da medicina Legal em Angola, querido por todos nós, que o consultávamos para o engrandecer das nossas faculdades mentais nos termos da Medicina Legal, agora deixou - nos órfãos de saber.

PARTIU PARA TERRA DO EXÍLIO E DO SILÊNCIO O PAI DA MEDICINA LEGAL ANGOLANA, O PRIMEIRO E MAIS CONCEITUADO MÉDICO LEGISTA QUE ANGOLA JÁ TEVE.

Morre o Pai da ciência do médico aplicada aos fins da ciência do direito em Angola... 

Um modelo de vida, um médico que a seu tempo foi até aos limites do sacrifício, fazendo atrair uma nova arte de fazer laudos jurídicos dentro dos processos clínicos que vergam para desvendar as causas de morte nos cadáver. Professor Adão faz vazio no contexto angolano que já é vago por não ter ninguém que o saberá substituir, morre uma lenda, fica a medicina legal aos ventos.

Esse vazio ninguém conseguirá apagar. 

Lembro – me de ter convivido com a mais alta figura da medicina legal à quando da minha defesa de Tese em medicina, foi esta a figura que deu – me as luzes à marcha no caminho certo, pela ironia do destino, os bons vão sempre primeiro, ficando assim um vazio irrecuperável na história da medicina Legal em Angola.

Por muitos anos o único, que tão trópegos e pedregosos acudirão!

Mestre entre os grandes mestres do saber, Chefe do Departamento de Medicina Legal da Melhor Faculdade de Medina de Angola – Faculdade de Medicina da Universidade Agostinho Neto (UAN)”,  fica esta nua e solitária, perante uma figura irrecuperável, não se sabe acudir tal perda, fazendo o efeito do leite derramado no chão.

Doutor em Medicina Legal; Mestre em Criminologia; Mestre em Ginecologia Forense; Regente da Cadeira de Medicina Legal nos Cursos de Medicina, Direito e Ciências Criminais; Membro da Banca Examinadora da Universidade de Coimbra; Director Nacional de Medicina Legal do Laboratório de Criminalística de Angola - Professor Doutor Adão Manuel Sebastião Phd, Director do Dei de Medicina Legal da UAN, Director do Dei de Medicina Legal da Universidade Jean – Peaget etc… etc… etc… etc…

Senhor entre os senhores, um médico brilhante, que afirma – se ser um ser único que pairava na atmosfera lunar feito uma luz inapagável para as ciências médicas aliadas à extenção do saber jurídico, foi à seu tempo feito uma arte singular perante os angolanos e África, tendo – se feito na distinção talentosa da arte do saber que ninguém mais em Angola soube possuir um dia, assim termina aquele que foi o Primeiro e mais talentoso Médico Legista angolano.

Da sua enorme folha de serviço, destaca-se o facto, de ter sido dele a incumbência, de proceder a autópsia externa (hábito externo, ou seja, sem abertura do cadáver) ao ex-líder da UNITA Dr. Jonas Savimbi, um político e guerrilheiro angolano e líder da UNITA durante mais de trinta anos, morreu no Lucusse, Moxico, ao 22 de Fevereiro de 2002. Foi dele a assinatura da certidão de óbito do líder da UNITA..

Fica a medicina Legal Angolana só…

Neste momento de dor e luto, nos vergamos perante tão exaltada figura do saber no apelo ao consolo à família enlutada, e ao sentimento de pesar que faz à Angola – pátria nossa, cujo efeito tem prejuízos nefastos no curso natural do saber e da arte da peripécia de laudos em medicina jurídica no panorama Nacional. 

Professor, descanse em paz e no jazigo dos anjos dos céus!

Os seus feitos lhe serão pago por um galardão Divido!

Que Deus o tenha nas suas mãos e a terra o seja leve!

Adeus Senhor Professor Adão!

Adeus! Grande mestre!

Last modified onQuinta, 14 Junho 2018 14:44
..
..
back to top

Recomendamos