Angola 24 Horas - Opinião
Menu
RSS

Ecos de fraude eleitoral tomam conta das eleições do novo bastonário dos médicos de Angola

“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desordem. De tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agitarem – se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega à desanimar – se da virtude, a rir – se da honra, e a ter vergonha de ser honesto (Rui Barbosa). “

Por João Henrique Hungulo

Read more...

Eduardo dos Santos – um longo percurso para a satisfação dos interesses mais elevados da pátria

A ruptura dos acordos de Alvor foi um presente envenenado, deste adveio a morte da paz em Angola, nesta óptica, Dr Agostinho Neto proclamava uma Angola independente na noite de 11 de Novembro de 1975.

Por João Henrique Hungulo

Todavia, depois dessa circunstância de índole patriótica, adveio à nação a colisão dos três movimentos de libertação nacional, a FNLA chamou à socorro o exército zairense de Mobuto para tomar de assalto Luanda, a UNITA infiltrou – se na zona do Sul de Angola e do Leste de Angola, o MPLA permanecia firme nos ideais da independência, desde então, os três movimentos: MPLA, UNITA e FNLA entraram num desentendimento nunca antes assistido, o que culminava com uma guerra incessante entre os três movimentos, desde então, a FNLA desapareceu do mapa e o seu líder Holden Roberto pôs – se em fuga na Diáspora, a UNITA ficou retida nos escombros e dela fazia face ao MPLA com a ajuda do exército do Apartheid e dos EUA. Em 1977 a guerra entre o MPLA e a UNITA tomava o seu relevo mais exaltado, Angola nesta época, encontrava – se com as barbas acesas, todavia, a sorte deixou de ter por palco Angola, assim em 1979 Dr Neto morria vítima de uma enfermidade hepática, nesta óptica, o Eng, Eduardo dos Santos recebia o País em circunstâncias odiosas vomitadas pela fúria das armas, a missão de fazer frente à guerra fria era forte e letal, nesta óptica em 1991 se impôs um regime democrático à luz da vontade do Eng. JES, todavia, a UNITA clamava em não aceitar os resultados eleitorais e acorreu à guerra como cajado para chegar ao poder. A vontade de ter um País em paz era forte e numerosa, porém, o esforço do Eng. JES em nada dava por certo, em virtude de Dr Jonas Savimvi sustentar ser a guerra o único meio para atingir a paz, assim, tanto nos acordos de paz com Margareth Anstee, como nos acordos de paz com Mbeye Dr Savimbi renunciava a paz, foi nesta sorte que Mbeye acabava de morrer Alioune Blondin Béye aos 26 de Junho de 1998 vítima de acidente de aviação. Desde então a guerra atacou à nação como pitbulls atacam as suas vítimas, Jonas Savimbi acusava ao Eng. Eduardo dos Santos de ser fraco, em virtude de não ter como saída a guerra, todavia, a determinação imposta por Savimbi de querer apenas o alcance da resolução os conflitos armados em Angola pela força das armas, era a única saída para ambos partidos MPLA e UNITA, mesmo o Eng. Dos Santos imponto – se indisponível à guerra, as armas não se calaram porque a UNITA acorreu as armas como o único meio para chegar ao fim dos conflitos em Angola, o percurso de tal incidente, ficou gravado na história, até que Angola se tornara o palco de guerras temíveis em África Austral, os exércitos de Cuba e da Rússia eram aliados do MPLA, ao passo que os exércitos de USA e África do Sul eram aliados da UNITA. Todavia, a batalha de Cuito Kuanavale tornou – se o ponto de viragem para o confronto dessas pluripotências cósmicas, com o MPLA a vencer a guerra contra o exército Sul Africano, determinava – se o fim da guerra fria imposta pela USA e a Rússia na África Austral, facto este que deu luz ao nascimento da libertação de Nelson Mandela (Madiba), libertação de África do Sul das mãos da organização racista de África do Sul, a libertação da Namíbia e a libertação do Zimbábue.

Desde então apesar dos das circunstâncias, a sorte negra encontrava por palco a nação angolana, tendo desta advindo mais guerra sobre este País, que transformou cidades em Ruínas, pontes destruídas, todo País parou tornando – se escombros da guerra, até que em 2002 a Paz chegou ao País sobre exaltado sacrifício tendo por ultimato a morte de Jonas Savimbi, que acabava morto de desgosto de tanto querer o pode e nunca lá ter chegado.

Com a chegada da paz, Angola ficou sem nenhum tostão para a reconstrução do País, acorreu à Europa para que os países do ocidente pudessem patrocinar a reconstrução nacional, nada suscitou desde então, o ocidente deu às costas à Angola, sem dinheiro, com mais de 89% da geografia angolana em ruínas, era necessário acorrer à outros meios para haver o País construído, desde logo, o Eng. JES viajava à China para encontros diplomáticos, com a aliança a China foi possível empreender – se o esforço chinês visado no patrocínio à reconstrução nacional, JES passou desde logo a ser a marca da reconstrução nacional, o modelo da pacificação e da paz, o pai da reconciliação nacional, com isso avançou o País ao progresso, até ter – se avistado com uma crise causada pela política de Obama que visava deteriorar o preço do petróleo para poder afrouxar o crescimento da economia chinesa, o avanço do poderio militar russo e o combate ao terrorismo.

José Eduardo dos Santos dedicou – se de forma plena à nação, retirou Angola das brasas acesas tendo à devolvida a paz tanto esperada, impôs a democracia através de inserção de um regime multipartidário, deu tudo que tinha de juventude à nação angolana, o seu nome permanecerá com o homem da paz, da reconciliação nacional, o Pai da nação, o pai da reconstrução nacional, o pacificador de espíritos agitados e conturbado.

Bem - Haja!

Read more...
Subscribe to this RSS feed

Recomendamos