Angola 24 Horas - Ministério das Finanças admite reajustes no preço dos combustíveis este ano
Menu
RSS

Ministério das Finanças admite reajustes no preço dos combustíveis este ano

Ministério das Finanças admite reajustes no preço dos combustíveis este ano

O Ministério das Finanças e a Sonangol ponderam a possibilidade de, ainda no decurso deste ano, ajustar o preço dos combustíveis, anunciou hoje (quarta-feira), na cidade do Luena, província do Moxico, o ministro das Finanças, Archer Mangueira.

Ao falar à imprensa, no final da visita de constatação à província do Moxico, o ministro disse pretender fazer este ajustamento no âmbito da estratégia de consolidação fiscal e diminuição de despesas.

Entretanto, disse estar em curso um estudo sobre o impacto de um eventual ajustamento dos preços dos combustiveis e seus derivados na vida da população.

O ministro disse que vão adoptar medidas para mitigar qualquer efeito negativo na vida das famílias, nesta subida dos preços dos combustiveis e seus derivados no país, cuja data para sua efectivação não foi revelada.

Em Janeiro de 2016, o Governo anunciou o fim dos subsídios ao gasóleo, com o preço passar de AKz 90 para 135 kwanzas o litro.

A gasolina, que naquela altura já comercializada há alguns meses sem subsídios, subiu de AKz 115 para 160 kwanzas o litro.

Na sua intervenção, o ministro disse, por outro lado, que o Ministério das Finanças está a realizar um programa de estabilização macroeconómica, com o propósito de corrigir o desequilíbrio de âmbito fiscal, monetário, cambial e criar um ambiente propício para o desenvolvimento de negócio.

Explicou que no âmbito fiscal, o Executivo pretende reduzir o nível de endividamento do estado e desenvolver condições para a melhoria da arrecadação das receitas, bem como abrandar algumas despesas sem afectar a população.

Para o governante, com a redução das despesas, o Estado poderá servir melhorar o sector da saúde, educação, defesa e segurança.

Referiu que o Governo pretende priorizar e concretizar algumas acções no domínio da educação, saúde, saneamento básico, construção de estradas, estacamento de ravinas e melhorar o sector de energia e água.

Segundo Archer Mangueira, a visita ao Moxico serviu para ter uma visão real das dificuldades sociais e económicas vividas pela população, com vista a sua resolução no âmbito do Pacote Emergencial (PE).

Durante o encontro realizado com a classe empresarial do Moxico, Archer Mangueira prometeu ajudar as iniciativas dos jovens empreendedores, através do aproveitamento das potencialidades que a região possui.

O empresário, João Filipe, pediu ao Ministério das Finanças para resolver questões dos empresários ligadas ao bloqueio das divisas nos bancos comerciais.

No Luena, além de manter um encontro de cortesia com o governador provincial, Gonçalves Muandumba, o ministro das Finanças visitou duas escolas do ensino primário, as ravinas, obras inacabadas de edifícios públicos e o troço rodoviário que liga a cidade do Luena aos municípios do Léua e Cameia.

Last modified onQuarta, 04 Julho 2018 21:35
.
..
.
.
back to top

Recomendamos